As cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Velho e Palmas estão com falta de imunizantes da AstraZeneca para a segunda dose.

O governo de São Paulo informa que têm, em todo estado, um déficit de 1 milhão de doses da AstraZeneca e que precisa ao todo de 1,4 milhão de unidades até 20 de setembro para completar seus planos para a segunda dose.

O governador João Doria decidiu que irá ao Supremo Tribunal Federal contra a União para exigir a entrega de vacinas da AstraZeneca para segunda dose, caso o Ministério da Saúde não regularize os envios para o estado até a quarta.

Nesses casos, a secretaria municipal de saúde está ofertando a Pfizer para a segunda dose de quem tomou a primeira da AstraZeneca.

Em Palmas, há falta de AstraZeneca para segunda dose desde 9 de setembro.

A prefeitura de Curitiba diz aguardar o recebimento de nova remessa de vacinas para a abertura da imunização para uma nova faixa etária com a primeira dose.

Com baixo estoque para terceira dose, Porto Alegre começou a vacinar moradores de Instituições de Longa Permanência para Idosos com a nova dose durante o fim de semana.

Este artigo foi resumido em 66%

Originalmente Publicado: 14 de Setembro de 2021 às 18:12

Fonte: Uol.com.br