Essa medida está em avaliação por 19 clubes da elite nacional como represália ao Flamengo, que obteve autorização do Superior Tribunal de Justiça Desportiva para liberar a presença de público em seus jogos.

Existe a possibilidade real de que a rodada do fim de semana da Série A não seja disputada, como revelou inicialmente o Uol.

A CBF vai tentar demover os clubes de levar a cabo a paralisação e buscará em caráter de urgência um entendimento entre eles; para isso, pretende reuni-los até o fim do dia, segundo o Terra apurou.

A contrariedade dos dirigentes de clubes da Primeira Divisão aumentou bastante nessa terça, após o STJD negar o pedido de 17 deles - Atlético-MG e Cuiabá não assinaram o documento, mas apoiam o boicote - para voltar atrás na liminar que autorizou a presença de torcedores nas partidas do Flamengo pelo Brasileiro e Copa do Brasil.

O que opõe o Flamengo aos demais coirmãos a deliberação de que o público só poderia voltar a ter acesso aos estádios quando os Estados respectivos de todos os clubes da Série A dessem sinal verde para isso, a partir da redução dos casos de covid-19 e das mortes provocadas pela doença.

Os 19 defendem que haja igualdade de condições e estão solidários ao Grêmio, que enfrenta sob protesto o Flamengo, nesta quarta, no Rio, pela Copa do Brasil, com a torcida rubro-negra ocupando parte das cadeiras do Maracanã.

Todo o conteúdo deste blog de responsabilidade do blogueiro que o assina.

Este artigo foi resumido em 28%

Originalmente Publicado: 15 de Setembro de 2021 às 07:31

Fonte: Terra.com.br