A cidade de São Paulo aplicará a partir desta quarta-feira exclusivamente a vacina da Pfizer como dose de reforço a idosos que já tomaram as duas doses da vacina contra Covid-19, segundo informações da Secretaria municipal da Saúde da capital.

A vacina da Pfizer a recomendada pelo Ministério da Saúde para dose de reforço, mas, até então, não era priorizada pela prefeitura, o que mudará a partir desta quarta.

Durante esta terça-feira, os postos de vacinação da cidade de São Paulo registraram desabastecimento de doses da vacina da Pfizer contra a Covid-19, já que a vacina também aplicada como segunda dose alternativa a quem tomou a primeira de AstraZeneca, que está em falta nas unidades de saúde do estado.

“Depois, a partir de 15 de setembro, quando o Ministério deve enviar os lotes maiores de Pfizer e AstraZeneca, aí então vamos priorizar a aplicação da dose de reforço com esses imunizantes que nós vamos receber. Mas vamos dar inicio de qualquer maneira aplicação da terceira dose na segunda-feira”, completou o secretário.

O Ministério da Saúde recomendou a dose de reforço para pessoas com mais de 70 anos e imunossuprimidos, e determinou que a imunização deverá ser feita, preferencialmente, com uma dose da Pfizer.

“Concordo com o Ministério da Saúde no que diz respeito utilização de Pfizer nos idosos e imunossuprimidos. Essa população apresenta menor resposta em termos de anticorpos neutralizantes e precisamos de uma vacina que possa induzir uma maior resposta”, disse.

No entanto, não há estudos que avaliem a aplicação de um reforço com CoronaVac em pessoas imunizadas com Pfizer e AstraZeneca, por exemplo, o que poderia ser o caso de diversos idosos que devem receber a dose adicional em setembro no estado de São Paulo.

Este artigo foi resumido em 79%

Originalmente Publicado: 14 de Setembro de 2021 às 22:12

Fonte: Globo