“Ainda há uma limitação da quantidade consentimentos dados pelos usuários para esta troca de até 0,5% da base de clientes, que irá aumentar progressivamente, e inicialmente, será feito entre 8h e 18h em dias úteis”, informa a Federação Brasileira de Bancos.

2ª fase de implantação do open banking foi escalonada para garantir segurança e estabilidade ao processo e permitir ajustes que forem necessários - Foto: Economia/G1.

Segundo a Febraban, a previsão que, a partir de 25 de outubro, o compartilhamento dos dados autorizados na fase 2 já esteja funcionando para todo o público, 24 horas por dia, 7 dias por semana.

Segundo o Banco Central, com o open banking as instituições financeiras “Poderão fazer ofertas de produtos e serviços para clientes de seus concorrentes, com benefícios para o consumidor, que poderá obter tarifas mais baixas e condições mais vantajosas”.

A partir do open banking, poderão ser lançados também aplicativos que reúnam os dados de contas em diferentes instituições e que ofereçam serviços de planejamento financeiro ou simulações de crédito e investimentos.

A terceira fase está prevista para começar no dia 29 de outubro, quando ocorrerá a integração de serviços e poderão ser lançadas novas soluções, como transferências eletrônicas através do Open Banking.

“Um modelo de negócio poderá aparecer no comércio eletrônico: por exemplo, ao comprar em um site de e-commerce será possível dar consentimento para um pagamento ou uma transferência dentro do próprio site de vendas, sendo redirecionado para o aplicativo ou site do banco apenas para autenticação de segurança do cliente”, explica a Febraban.

Este artigo foi resumido em 73%

Originalmente Publicado: 15 de Setembro de 2021 às 06:00

Fonte: Globo