FOTO: ALEXANDRE VIDAL/FLAMENGO. No início da noite desta terça, Otávio Noronha, presidente do Superior Tribunal de Justiça Desportiva, negou o pedido de 17 clubes da Série A para derrubar a liminar que o Flamengo tem e que lhe dá o direito de contar com públicos em seus jogos nos campeonatos organizados pela CBF. Um dos argumentos do grupo, além do acordo feito no Conselho Técnico, foi a isonomia.

Num trecho da decisão, o magistrado lembrou da partida de 2019, quando o Palmeiras jogou sem contar com torcedores do Rubro-Negro no Allianz, mas teve carga de ingressos no duelo disputado no Rio.

Apenas para que se traga lume um exemplo histórico, na 36ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série A de 2019, o Flamengo foi obrigado a jogar, sem que se lhe tenha franqueado acesso de sua Torcida ao Estádio, na qualidade de Visitante, na partida em que enfrentou o Palmeiras, na cidade de São Paulo.

No primeiro turno daquela mesma competição, o Time do Palmeiras já havia visitado o Clube de Regatas do Flamengo, e utilizado normalmente sua carga de ingressos.

Sucede que por força de circunstâncias relacionadas segurança pública, e um anunciado risco de confrontos entre torcidas, a CBF se viu na contingência de proibir o ingresso dos torcedores rubro-negros no Estádio.

Tal ato relativizou, mas não vulnerou o princípio da isonomia, posto que emprestou um tratamento, ainda que distinto, necessário, razoável e adequado, diante daquelas circunstâncias excepcionais.

Em 2019, após o Palmeiras conseguir uma decisão favorável do STJD para não receber os torcedores do Mais Querido no Allianz Parque, na partida do returno do Campeonato Brasileiro, nenhum clube saiu em defesa do Fla, que na ocasião, ainda recorreu para reverter o veredito, mas não obteve êxito.

Este artigo foi resumido em 35%

Originalmente Publicado: 14 de Setembro de 2021 às 22:35

Fonte: Colunadofla.com