BRASÍLIA - Em reunião virtual com integrantes da CPI da Covid, o grupo de juristas que tem auxiliado os trabalhos da comissão sustentou que há elementos suficientes para a comissão denunciar o presidente Jair Bolsonaro ao Tribunal Penal Internacional por crime contra a humanidade.

O material deverá embasar o parecer do relator, Renan Calheiros, previsto para ser apresentado no final da semana que vem.

Renan Calheiros voltou a defender ontem a convocação do atual ministro da Defesa, Braga Netto, que já foi o coordenador do comitê de enfrentamento pandemia do governo federal na época em que comandava a Casa Civil de Bolsonaro.

Eu acho que seria importante ouvirmos o general Braga Netto, que foi o coordenador do comitê.

Isso torna absolutamente natural sua vinda para depor na CPI. Mais do que qualquer um, por ter sido o coordenador do comitê de enfrentamento Covid, eu acho que ele precisa vir.

Para que seja o ponto de vista da comissão, precisa ter maioria - argumentou o relator.

O objetivo apurar as relações dela com o lobista Marconny Faria, que atuou para a Precisa Medicamentos no Ministério da Saúde e depôs na quarta-feira na CPI. Alguns parlamentares não enxergam ligação direta de Ana Cristina como os temas investigados.

Este artigo foi resumido em 58%

Originalmente Publicado: 16 de Setembro de 2021 às 22:50

Fonte: Globo