Conversou com exclusividade com três médicos que trabalharam na Prevent Senior e decidiram vir público contar detalhes sobre a orientação da operadora de saúde de indicar remédios não só ineficazes como potencialmente perigosos no tratamento de pacientes de Covid-19.

Eles revelaram ao repórter da GloboNews Guilherme Balza detalhes da pressão que sofreram para receitar remédios ineficazes contra a Covid e afirmaram que a empresa visava principalmente o lucro, e não a saúde dos seus pacientes.

A Prevent Senior está sendo investigada pela CPI da Covid, pelo Ministério Público e pela ANS. Os médicos fazem parte do grupo de 12 profissionais que escreveram um dossiê e apresentaram denúncias CPI da Covid na última terça-feira.

A ligação foi em abril deste ano, depois que Walter foi ouvido, sem se identificar, para uma reportagem com denúncias contra a Prevent.

A Prevent Senior refuta mais uma vez as acusações, montadas a partir da manipulação de mensagens por 3 médicos demitidos da empresa por condutas irregulares, dentre elas casos de mau atendimento a pacientes que resultaram em boletins de ocorrência, além dos crimes de violação de prontuário médico.

Pelo contrário, investiu R$ 250 milhões durante a pandemia na aquisição de equipamentos, contratação de profissionais e um programa de testagem em massa que atendeu mais de 500 mil beneficiários, com milhares de vidas salvas.

Diz se tratar de uma conversa entre até então dois amigos em que ele alertava para a má-conduta da violação do prontuário de um paciente.

Este artigo foi resumido em 63%

Originalmente Publicado: 3 de Outubro de 2021 às 23:01

Fonte: Globo