Cerca de 14,5 milhões de brasileiros que estavam no Bolsa Família até o último mês de outubro estão recebendo o dinheiro do programa nesta primeira rodada de pagamentos.

A ampliação do Auxílio Brasil, assim como o aumento do valor médio do benefício de R$ 217 para R$ 400, depende da aprovação da PEC dos Precatórios, que permite o parcelamento de precatórios por até dez anos e muda o cálculo do teto de gastos - caso aprovada, a proposta abre um espaço de R$ 91,5 bilhões no teto para 2022, dos quais cerca de R$ 50 bilhões serão usados para subsidiar o Auxílio Brasil.

Em caso de aprovação da PEC dos Precatórios, o plano do governo fazer com que, em um primeiro momento, cerca de 2,4 milhões de pessoas que não faziam parte do Bolsa Família, entrem no Auxílio Brasil.

Alguns senadores, no entanto, querem inserir mais 3 milhões de brasileiros, chegando a 5,4 milhões de novos beneficiários e quase R$ 20 milhões no total.

Segundo o governo federal, boa parte dos beneficiários que tinham cadastro no auxílio emergencial podem ser contemplados pelo Auxílio Brasil, o que não significa que a migração entre os programas será automática, como no caso do Bolsa Família.

A expectativa do governo é, a partir de dezembro, ampliar o benefício para mais 2,4 milhões de beneficiários que fazem parte do CadÚnico.

Siga nossa página no Google News e receba mais notícias sobre o Auxílio Brasil e outros benefícios sociais.

Este artigo foi resumido em 55%

Originalmente Publicado: 24 de Novembro de 2021 às 21:31

Fonte: Noticiasdemogi.com.br