Na avaliação da Faurgs, o problema que impediu o funcionamento do aplicativo de votação teve como causa mais provável um “Congestionamento de acessos incompatível com o número de eleitores cadastrados”.

Mesmo admitindo a possibilidade de ter havido um problema de invasão no domingo, o PSDB continua em busca de uma solução para dar prosseguimento eleição interna que vai escolher o pré-candidato tucano Presidência.

No pedido, Silva alegou que o problema no aplicativo original, desenvolvido pela Faurgs, feriu “o direito líquido e certo do filiado de escolher, através do voto, o próximo presidenciável do PSDB”. A direção do partido informou que “Quando notificado, o PSDB solicitará nota técnica Faurgs” sobre as explicações pedidas.

Depois que o aplicativo da Faurgs apresentou falhas nas prévias de domingo, o PSDB decidiu procurar outra empresa para executar o serviço.

O governador do Rio Grande do Sul afirmou que apoia o pedido feito por ex-presidentes do PSDB para que a Polícia Federal investigue se houve ataque hacker ao aplicativo de votação.

“Desde o domingo da votação manifestamos nossa estranheza com o que aconteceu, com a demora de esclarecimentos e com a falta de informações claras. O presidente do PSDB, Bruno Araújo, tem nosso apoio e confiança para buscar a verdade sobre esse possível crime.”

O deputado federal Jutahy Júnior, que aliado de Leite, chegou a pedir o adiamento da votação diante de coordenadores da campanha de Doria, que reagiram contrariamente.

Este artigo foi resumido em 80%

Originalmente Publicado: 25 de Novembro de 2021 às 00:30

Fonte: Google News