A sobrevivente Cristiane dos Santos Clavé, 34, afirmou em depoimento neste sábado que teve que fechar os olhos e tatear nas paredes para conseguir sair da boate Kiss, em Santa Maria, em meio ao incêndio.

Do lado de fora, disse que passou “Por cima de corpos” no chão para procurar um amigo, que acabou morrendo no local.

“Quando eu saí de lá de dentro eu já vi seis pessoas atiradas no estacionamento do Carrefour. Que, para mim hoje, a pior parte passar por ali. bem perto do meu serviço. Eu não tenho problema de olhar para a boate, eu tenho problema de olhar para o outro lado porque eu tinha que passar por cima dos corpos para procurar ele.”

E um monte de gente na volta de nós achou que era briga, só que quando eu olhei para o palco, o rapaz estava com extintor tentando apagar.

“Quando andava para a frente parecia que a fumaça pegou um encanamento de ar-condicionado e passou por cima e chegou lá na frente. Quando cheguei a fumaça era muito quente. Como eu já estava sentindo falta de ar anterior, eu respirei fundo, fechei minha boca, meus olhos, e fui com minha mão na parede.”

“Daí eu pensei, tá eu vou com a mão, fui indo para a mão até encontrar a mesa. Daí quando encontrei a mesa sabia que a porta estava do lado Aí eu caí que tinha um guarda-corpos.” No local, já havia pessoas tentava auxiliar na saída de quem estava no interior da casa noturna.

Cristiane contou que não dormiu por 48 horas e relatou que perdeu cerca de 15 amigos e conhecidos.

Este artigo foi resumido em 53%

Originalmente Publicado: 4 de Dezembro de 2021 às 20:51

Fonte: Uol.com.br