Após o acidente aéreo que matou a cantora Marília Mendonça, a Polícia Civil continua com as investigações para apurar as causas do acidente, mas a Companhia Energética de Minas Gerais disse que ainda não foi ouvida.

A possibilidade de pane nos motores, o que depende de investigação do Cenipa, o Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos.

O g1 procurou a Polícia Civil na tarde da última sexta-feira para ver se houve atualização nas investigações e para ver quem já foi ouvido até o momento, mas a única resposta foi que “a investigação encontra-se em andamento e mais informações serão repassadas após a conclusão do inquérito policial”.

Segundo nota da Cenipa, enviada ao g1 na quinta-feira, “Está em andamento a investigação do acidente envolvendo a aeronave de matrícula PT-ONJ ocorrido em Caratinga. O objetivo das investigações realizadas pelo CENIPA prevenir que novos acidentes com características semelhantes ocorram”.

Acidente com Marília Mendonça - Foto: JN. O Centro disse ainda que “a conclusão das investigações terá o menor prazo possível, dependendo sempre da complexidade de cada ocorrência e, ainda, da necessidade de descobrir todos os fatores contribuintes”.

“O piloto já estava em procedimento de pouso. A estimativa que o piloto que se acidentou estava a um minuto, um minuto e meio do pouso”, disse o delegado.

Ele também disse que, por segurança, foi coletado material para exames complementares “Para identificar outras causas que poderiam concorrer de alguma forma com o óbito”: exames toxicológicos, de teor alcoólico e anatopatológicos.

Este artigo foi resumido em 74%

Originalmente Publicado: 5 de Dezembro de 2021 às 07:00

Fonte: Globo