Tatiana Fogaça, esposa do empresário Sérgio Alves Dias Filho, 45, passageiro do avião que desapareceu no mar entre Ubatuba e Paraty em 24 de novembro, lamentou a suspensão das buscas pelo marido e pelo copiloto José Porfírio de Brito Júnior, 20, anunciada pela FAB no sábado.

A designer e psicanalista contou ainda que o marido omitiu que iria voltar para o Rio de Janeiro em voo fretado, após viajar a Campinas a trabalho, e que a falta de informações e de apoio das autoridades dificultaram ainda mais as buscas.

“Como tanto eu quanto meu sogro sempre fomos reticentes quanto a voos particulares, em pequenas aeronaves, ele disse no dia que estaria em um voo da Azul e me ligou por volta de 20h20 para dizer que estava embarcando. A gente tinha um protocolo de família em que ele me avisava e avisava o meu sogro no momento em que ele estava decolando, então a gente ficava muito em contato e monitorando, por questão de segurança mesmo”, explicou.

“Eu liguei para a agente de viagens que intermedeia nossas transações aéreas e ela falou: ‘não, ele não comprou comigo’, mas por algumas vezes o Sérgio comprava diretamente de sites. Nesse momento, fiquei nessa loucura de entrar em sites especializados que informam sobre acidentes aéreos e não teve nenhum reportado”, explicou.

“Eu tive a ideia de buscar informação no aeroporto de Jacarepaguá e saber o que estava acontecendo, por ventilar essa possibilidade de ser um voo fretado. Mas já era madrugada, então eu cheguei e estava tudo fechado, mesma realidade do Santos Dumont”.

“Eu encontrei o automóvel dele em frente ao hangar 37, da Emar Táxi Aéreo, só que estava fechado. Aí eu consegui o número de telefone e atendeu uma pessoa do comercial, que disse que eles não possuíam aeronaves pequenas, só helicópteros, e que eles não tinham comercializado nenhum voo Campinas - Rio”, relembra.

“Aí eu questionei: ‘olha só, você recebeu a informação de que havia a previsão de chegada de uma aeronave. Essa aeronave não chega e nenhum órgão informado? A resposta dele foi de que voos privados podem mudar o plano de voo e, portanto, eles não são responsáveis por informar as autoridades”, relembrou Tatiana.

Este artigo foi resumido em 78%

Originalmente Publicado: 7 de Dezembro de 2021 às 06:00

Fonte: Uol.com.br