O governo da Holanda dá início neste domingo a um lockdown em que tudo menos lojas essenciais seriam fechadas, em meio ao medo pela disseminação da variante Ômicron do coronavírus.

O lockdown vai se estender pelo Natal e Ano Novo e vai até 14 de janeiro, pelo menos, com o fechamento de todas as atividades não essenciais no país, assim como de escolas e universidades.

Em entrevista coletiva, o primeiro-ministro interino, Mark Rutte, explicou que poderão seguir abertos estabelecimentos como supermercados, farmácias e postos de gasolina, enquanto restaurantes, cinemas, teatros e academias deverão parar atividades.

No centro da cidade de Leiden, cerca de 20 quilômetros nos arredores de Haia, as pessoas foram às ruas principais para fazer compras de última hora.

Havia filas no lado de fora de algumas lojas, como de brinquedos, tratamento de pele de luxo ou cosméticos.

Já na terça-feira o governo ordenou que o fechamento entre às 17h e às 5h de bares, restaurantes e a maioria das lojas, introduzido no final de novembro, continuaria até 14 de janeiro.

A temida nova onda de infecções pela Ômicron pode colocar mais pressão no sistema de saúde do país, que já está adiando a maioria dos tratamentos de rotina e cancelando todas as operações não urgentes para lidar com os pacientes de Covid-19.

Este artigo foi resumido em 41%

Originalmente Publicado: 19 de Dezembro de 2021 às 03:00

Fonte: R7.com