A queda na proporção dá indícios de que os dados divulgados atualmente pelo estado não mostram todos os casos de Covid registrados nos sistemas do SUS. O único outro estado em que a mesma divergência foi verificada, entre os seis mais populosos a Bahia, que admitiu problemas na extração de dados.

Desde o início da pandemia até o dia 10 de dezembro de 2021 - data do início do apagão de dados do Ministério da Saúde -, o estado de São Paulo teve 4,4 milhões de casos confirmados de Covid, o que representa 20% do total do país no mesmo período.

O percentual de casos corresponde ao percentual total da população do estado em relação população do país, que também de 20%. Já no período de 11 de dezembro de 2021 até esta quarta-feira, o estado de SP só notificou 33.347 novos casos, o que representa 6,3% do total de 532.943 registrado no país.

“Basta ver as internações no estado, que estão aumentando: está faltando muito caso mas, na atual onda causada pela ômicron, isso não razoável. Por fim, poderíamos ter algum problema na notificação de casos pelos municípios, mas os dados públicos da capital mostram que isso não está acontecendo, e que também que possível corrigir o problema de compilação dos dados”, completou.

“A Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal da Saúde, informa que os dados de extração e notificação dos dados de Covid-19 na capital considera, em casos confirmados para Covid-19, todos os diagnósticos: laboratorial, clínico-epidemiológico, clínico e clínico-imagem. A SMS informa que utiliza um script para o processamento dos dados epidemiológicos que realiza a reclassificação dos casos utilizando os critérios e definições preconizados pelo Ministério da Saúde”, disse.

Para ele, um indício de que os dados do governo do estado de São Paulo podem estar abaixo dos números reais o fato de o número de casos registrados oficialmente nas últimas semanas não ter acompanhado o aumento no número de internações.

Outros indicadores, como aumentos de internações, maior procura por testes de Covid e lotação em prontos socorros de pessoas com sintomas gripais apontam para uma explosão de casos da doença, mas especialistas insistem que extremante grave não contar com o restante dos dados para ajudar na elaboração de políticas públicas.

Este artigo foi resumido em 81%

Originalmente Publicado: 14 de Janeiro de 2022 às 18:34

Fonte: Globo