Davi Seremramiwe Xavante ,8, da tribo Xavante, primeira criança a receber a primeira dose da vacina contra Covid-19, no Hospital das Clinicas em São Paulo nesta sexta-feira - Foto: ALOISIO MAURICIO/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO. Davi Seremramiwe Xavante, primeira criança vacinada contra a Covid no Brasil - Foto: Reprodução/TV Globo.

Davi Seremramiwe Xavante, 8 anos, da tribo Xavante, primeira criança a receber a primeira dose da vacina contra Covid-19 da Pfizer, no Hospital das Clinicas, em São Paulo, nesta sexta-feira - Foto: ALOISIO MAURICIO/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO. A campanha infantil deve ocorrer de forma escalonada, em ordem decrescente, como foi feito com a população adulta, mas o governo aguarda o recebimento de doses para divulgar um calendário.

A imunização simbólica realizada nesta sexta e destinada a um pequeno grupo de crianças repete o modelo da primeira vacinação contra a Covid no país, quando a enfermeira Mônica Calazans, de 54 anos, se tornou a primeira pessoa a receber a dose no Brasil.

Além de Davi, outras crianças foram vacinadas no evento inaugural, como Gianlucca Trevellin, de 9 anos, que tem atrofia muscular espinhal do tipo 1, Valentina Moreira, de 6 anos, e Caio Emanuel Oliveira, de 10 anos, que realizaram ou estão na fila por transplante de rim, e Isabela, de 9 anos, que tem fibrose cística.

Gianlucca Trevellin, que possui atrofia muscular, vacinado contra a Covid-19 nesta sexta - Foto: BRUNO ROCHA/ENQUADRAR/ESTADÃO CONTEÚDO. Graziely de Oliveira, de 8 anos, Leonardo Martinez, de 5 anos, Marcelo Gabriel Moreira, de 10 anos, e Cauê Henrique dos Santos, de 11 anos, que possuem síndrome de Down, também receberam a vacinação durante o evento simbólico.

Em dezembro, a gestão estadual divulgou as imagens da carteirinha de vacinação contra Covid-19 que será usada durante a campanha de imunização de crianças de 5 a 11 anos no estado.

“Eu espero que na semana que vem possamos ter a deliberação da Anvisa, que possa autorizar a vacinação de crianças nesta mesma faixa etária com a vacina do Butantan, a CoronaVac, porque temos 15 milhões de doses da vacina no Butantan, prontas, disponíveis para iniciar a imunização numa escala muito maior do que o volume que até o presente momento estão previstas”, disse Doria.

Este artigo foi resumido em 58%

Originalmente Publicado: 14 de Janeiro de 2022 às 13:06

Fonte: Globo