O presidente francês Emmanuel Macron se reúne nesta segunda-feira com seu homólogo russo Vladimir Putin, enquanto o chanceler Olaf Scholz terá um encontro em Washington com o presidente americano Joe Biden, para tentar reduzir a tensão na crise da Ucrânia.

Também nesta segunda-feira, os ministros das Relações Exteriores de Alemanha, República Tcheca, Eslováquia e Áustria viajarão a Kiev, que no domingo tentou minimizar as previsões americanas de que Moscou intensifica a preparação para uma invasão em grande escala na Ucrânia.

Macron vai a Moscou para falar com Putin - Foto: Christophe Archambault/AFP. Autoridades americanas afirmaram que a Rússia mobilizou 110.000 soldados ao longo da fronteira com a Ucrânia, mas as avaliações do serviço de inteligência não determinaram se os planos do presidente russo, Vladimir Putin, são, mesmo, de invadir o país.

Muitos esperam que ele promova um plano de paz até então estagnado para o conflito de vários anos com os separatistas pró-Rússia no leste da Ucrânia.

Mas o conselheiro de Segurança Nacional de Biden, Jake Sullivan, disse ao canal Fox News no domingo que o presidente “não está enviando forças para iniciar uma guerra ou travar uma guerra com a Rússia na Ucrânia”.

Rússia nega plano de invadir a Ucrânia - Foto: Mikhail Metzel/Sputnik/Kremlin Pool via AP. Scholz afirmou no domingo que Berlim está preparado para enviar mais soldados aos países bálticos, além dos 500 que já estão na Lituânia com uma operação da Otan.

Scholz viajará a Moscou e Kiev na próxima semana para conversar com Putin e o presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky.

Este artigo foi resumido em 57%

Originalmente Publicado: 7 de Fevereiro de 2022 às 07:44

Fonte: Globo