Depois de três anos desde a última vez em que se encontraram presencialmente com os acionistas, Warren Buffett e Charlie Munger ficaram, novamente, diante de dezenas de milhares de pessoas que participam do encontro anual da Berkshire Hathaway neste sábado.

Ao responder as perguntas dos acionistas, Buffett soltou uma crítica: afirmou que, nos últimos dois anos, os mercados se comportaram como um cassino ou casas de apostas, com o estímulo de Wall Street.

Embora ainda não haja certeza sobre o negócio, Buffett destacou que “Se o negócio for bem-sucedido, ganhamos algum dinheiro, e se o negócio não for, quem sabe o que acontece”.

“Não sabemos o que o Departamento de Justiça fará, não sabemos o que a UE fará, não sabemos o que outras 30 jurisdições farão. Uma coisa que sabemos que a Microsoft tem o dinheiro”, ponderou Buffett.

Buffett também não poupou críticas criptomoeda, ao dizer que se tivesse a oportunidade de deter todo o Bitcoin do mundo, ele não compraria inicialmente o ativo.

“Se vai subir ou descer no próximo ano, ou cinco ou 10 anos, eu não sei. A única coisa que tenho certeza que [o Bitcoin] não produz nada”, disse Buffett.

Embora os últimos sinais tenham dado certo alívio, o acionista da Berkshire não negou que os investidores seguem mais preocupados com a China agora do que há 50 anos.

Este artigo foi resumido em 84%

Originalmente Publicado: 30 de Abril de 2022 às 12:27

Fonte: InfoMoney