A defesa da brasileira Mary Hellen, condenada a 9 anos e seis meses de prisão por tráfico internacional de drogas na Tailândia, disse que não será possível neste momento o “Perdão real”, previsto na lei do país.

Segundo o advogado Telêmaco Marrace, que faz parte da banca de juristas que defendem a mineira de Pouso Alegre, novas informações foram obtidas pela defesa nesta madrugada através do Departamento Correcional da Tailândia.

“Um nova regra após as mudanças legislativas na Tailândia define que os sentenciados nesse momento atual devem cumprir a obrigação de pelo menos um terço de sua sentença de prisão de acordo com o que foi definido pelo tribunal, antes de encaixarem nos requisitos para pedirem o perdão real”, disse o advogado.

Apesar disso, o advogado diz que ainda existe a esperança de um indulto, mesmo com o número baixo de benefícios do tipo no país nos últimos dois anos.

“Mas anima em saber que no pedido de indulto real obrigado a considerar os antecedentes de cada solicitante do perdão real, bem como a natureza do crime pelo qual foram condenados e sua pena de prisão. Nesse ponto reafirmo que Mary Hellen tem bons antecedentes e poderia se encaixar, pois ainda pesa a pouca idade e a forma de aliciamento, por ser de família vulnerável financeira no Brasil e alvo fácil a ser convencida”, disse o advogado.

“A embaixada foi avisada ontem, 11/5, por telefone, sobre a audiência de Mary Hellen Coelho Silva perante a Corte de Samut Prakan, realizada no dia 8/5. O funcionário que informou a embaixada afirmou que a audiência foi agendada com um dia de antecedência, razão pela qual não teria sido possível alertar as partes interessadas antecipadamente. De acordo com o funcionário da Corte, Mary Hellen foi condenada a 9 anos e 6 meses de prisão. A brasileira teria sido assistida por defensor público nomeado pela própria Corte. O setor consular está tentando, desde ontem, obter cópias dos documentos da sentença da brasileira”.

No dia 5 de maio, a Polícia Federal prendeu uma mulher suspeita de aliciar os três brasileiros que foram presos por tráfico internacional de drogas, no Aeroporto Internacional de Suvarnabhumi, em Bangkok, na Tailândia.

Este artigo foi resumido em 57%

Originalmente Publicado: 13 de Maio de 2022 às 17:36

Fonte: Globo