O fim da neutralidade militar da Finlândia com a entrada do país na Otan seria um “Erro”, afirmou hoje o presidente da Rússia Vladimir Putin.

“Vladimir Putin destacou que o fim da política tradicional de neutralidade militar seria um erro, pois não há nenhuma ameaça para a segurança da Finlândia”, diz a nota do governo russo.

A candidatura de adesão da Finlândia Otan, que desagrada Moscou sobretudo após a Ucrânia também ter tentado dar início entrada no bloco em meio guerra, deve ser oficializada no domingo.

Niinisto, por sua vez, divulgou um comunicado em que afirma que a invasão russa Ucrânia “Alterou o ambiente de segurança da Finlândia” e que o país escandinavo vai apresentar seu pedido de ingresso na aliança militar ocidental “Nos próximos dias”.

A Finlândia, que tem 1,3 mil quilômetros de fronteiras terrestres com a Rússia, já vinha sinalizando a intenção de abrir mão da neutralidade adotada após a amarga derrota para a União Soviética durante a Segunda Guerra Mundial.

“Helsinque deve estar ciente da responsabilidade e consequências de tal movimento. A adesão da Finlândia Otan causará sérios danos às relações bilaterais russo-finlandesas, que mantêm a estabilidade e a segurança na região nórdica”, disse o chanceler.

A chanceler Ann Linde afirmou que o país está pronto para abandonar a neutralidade e que a entrada na Otan vai estabilizar conflitos no mar Báltico.

Este artigo foi resumido em 63%

Originalmente Publicado: 14 de Maio de 2022 às 10:09

Fonte: Uol.com.br