O Reino Unido também se mostrou favorável adesão dos dois países Aliança, afirmando que eles “Apoiam fortemente a candidatura finlandesas e sueca” e que ambos “Devem aderir o mais rápido possível, pois a sua adesão fortalecerá a segurança coletiva da Europa”, disse a secretária de Relações Exteriores britânica, Liz Truss, em um comunicado.

O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, afirmou um dia antes do pronunciamento oficial da Finlândia que não aprovará a entrada dos países nórdicos, e que as delegações dos dois países que não deveriam se incomodar em ir até Ancara para convencê-lo a mudar de ideia.

Há três anos, a Suécia já interrompeu a venda de armas aos turcos apos o envolvimento militar de Ancara na guerra da Síria, e, junto a Finlândia, recusam constantemente as solicitações para extradição de militares curdos, que são um dos principais pontos que faz com que a Turquia não concorde com adesão.

Ancara acusa os nórdicos de serem “Uma casa de hóspedes para organizações terroristas”, disse Recep Tayyip Erdogan citando os seguidores de Fethullah Gulen e Partido dos Trabalhadores do Curdistão - grupo guerrilheiro curdo que combateu por décadas em uma insurgência separatista em partes da Turquia -, considerado um grupo “Terrorista” pela Turquia, União Europeia e Estados Unidos.

Apesar de não concordar com a adesão de Finlândia e Suécia na Otan, a Turquia, que desde o começo do conflito no Leste Europeu tem feito de tudo para manter boas relações com Rússia e Ucrânia, do quais sua economia depende muito, disse que eles não estão fechando a porta para a entrada dos países nórdicos na aliança, entretanto, querem negociações e medidas contra o que vê como atividades terroristas, especialmente em Estocolmo, afirmou um porta-voz do presidente Tayyip Erdogan.

No último domingo, 15, diante da recusa da Turquia que começou a aparecer na sexta-feira, o secretário norte-americano de Estado, Anthony Blinken, expressou que os Estados Unidos vêm incentivando a entrada dos dois países e devem fazer um esforço para contornar a oposição de Erdogan.

“Portanto, estou confiante de que seremos capazes de abordar as preocupações que a Turquia expressou de uma forma que não atrase o processo de adesão”.

Este artigo foi resumido em 60%

Originalmente Publicado: 17 de Maio de 2022 às 14:25

Fonte: Jovempan.com.br