“Ele falava diretamente que ele não gostava de maiores de 18 anos”, disse uma testemunha.

Em março e abril, o Fantástico revelou que funcionários e ex-funcionários do gabinete acusavam o parlamentar de assédio sexual e assédio moral.

Nenhuma das mulheres que acusam Gabriel Monteiro de estupro havia registrado boletim de ocorrência.

A mulher contou que no dia 14 de maio de 2017 saiu de uma casa noturna com Gabriel Monteiro.

A vítima disse que pediu para Gabriel parar, mas que ele pegou uma arma e apontou para a cabeça dela.

Em nota, a defesa do vereador disse que respeita a decisão do Conselho de Ética, mas entende que o relatório final nem sequer considera as provas produzidas pela defesa.

E afirma que as denúncias não são “Contundentes”, mas fruto de uma organização criminosa que falseia a verdade com objetivo de causar danos irreversíveis vida política dele.

Este artigo foi resumido em 74%

Originalmente Publicado: 15 de Agosto de 2022 às 00:15

Fonte: Globo