A líder do partido pós-fascista Irmãos da Itália, Giorgia Meloni, antieuropeia e nacionalista, está prestes a se tornar primeira-ministra, após as eleições deste domingo, lideradas por seu partido, segundo pesquisas de boca de urna.

Admiradora de Benito Mussolini na juventude, Giorgia, 45 anos, conhecida por sua linguagem direta desde seus anos como líder estudantil em Roma, poderia se tornar também a primeira mulher a chefiar o governo.

Militante na direita pós-fascista desde os 15 anos, membro da Câmara de Deputados desde 2006 e não tem papas na língua para criticar o governo em fim de mandato, liderado pelo prestigioso economista Mario Draghi.

O fascismo e outros fantasmasA líder do partido herdeiro do Movimento 5 Estrelas, formação neofascista fundada depois da Segunda Guerra Mundial pelos simpatizantes de Mussolini, esclareceu em agosto sua controvertida relação com o fascismo.

No entanto, o Irmãos da Itália exibe em sua bandeira um nó verde, vermelho e branco, um símbolo criado em 1946 pelo grupo de veteranos fascistas que fundaram o MSI. Vários meios voltaram a transmitir um vídeo no qual a política, aos 19 anos, declara sua admiração por Mussolini: “Para mim foi um bom político. Todo o que fez, fez pela Itália”, justificou.

‘Sou italiana, sou cristã’Nascida em Roma, em 15 de janeiro de 1977, Giorgia Meloni começou a militar no ensino médio em associações estudantis de extrema direita, “Minha segunda família”, confessou, enquanto trabalhava como babá e camareira.

Ela vive, mas não casada oficialmente, com o pai de sua filha, um jornalista de televisão.

Este artigo foi resumido em 56%

Originalmente Publicado: 25 de Setembro de 2022 às 19:44

Fonte: R7.com