Os bancos públicos Caixa Econômica Federal e Banco do Brasil confirmaram nesta sexta-feira que também suspenderam a oferta de empréstimo consignado a beneficiários do INSS. Ontem, bancos privados já tinham anunciado que suspenderam novas operações da modalidade.

O teto de juros passou de 2,14% para 1,70%. A taxa para o cartão de crédito consignado também será reduzida, de 3,06% para 2,62%. No começo da semana, a Febraban afirmara que, considerando os altos custos de captação, “Eventual redução do teto poderia comprometer ainda mais a oferta de empréstimo consignado e do cartão de crédito consignado”.

Em nota, a Caixa informou que medida que estabeleceu um novo teto de juros “Em patamar inferior ao que o banco já pratica, sendo a menor taxa do mercado”.

Por meio de nota, o BB informou que realiza estudos de viabilidade técnica sobre as novas condições de operações de crédito aprovadas sobre o consignado no convênio com o INSS. Banco do Brasil.

Em nota, a Febraban disse que cada banco associado segue sua estratégia comercial de negócio e que os novos tetos têm elevado risco de reduzir a oferta do crédito consignado.

Lupi reagiu e disse nas redes sociais que bancos públicos deveriam ser usados pelo governo para garantir o crédito consignado do INSS. Em seu perfil no Twitter, o ministro reproduziu nota de centrais sindicais na qual afirma que “a suspensão do crédito consignado prejudica, principalmente, os aposentados e pensionistas que precisam de crédito para complementar suas rendas, e que não têm alternativas de crédito”.

O ministro divulgou o link de levantamento do Banco Central que mostra taxas de 1,31% a 2,17% ao mês no período de 27 de fevereiro a 3 de março.

Este artigo foi resumido em 32%

Originalmente Publicado: 17 de Março de 2023 às 12:25

Fonte: economia.uol.com.br